Skip to content

CAMPANHA DE ROSÁRIOS PELAS ELEIÇÕES

 

Clique na imagem para ler a oração que acompanha o Rosário

Clique aqui para ler o texto explicativo

 

Nada será como antes (I)

NADA SERÁ COMO ANTES (I)

- O mundo depois da COVID -

 

 

Um mal que espalha terror,

Mal que o Céu em sua fúria

Inventa para punir os crimes da terra,

O COVID (já que deve-se que chamá-lo por seu nome),

Capaz de enriquecer em um dia o Aqueronte,

Faz guerra aos humanos.

Nem todos morrem, mas todos são atingidos ...1

 

 

Este último verso prende nossa atenção uma vez que o frisson da morte adquiriu dimensões globais.

A mensagem de alerta internacional de profissionais da área de saúde para governos e cidadãos do mundo lançado pela United Health Professionnals2, recebe a cada dia novo apoio: “Parem o terror, a loucura, a manipulação, a ditadura, as mentiras e a maior falcatrua sanitária do século XXI". Em uma escala mais modesta, a Dra. Nicole Delépine, em um recente fórum do France-Soir3, lançou a questão: Fim de uma epidemia ou de um pânico organizado. Por quê.

Por falta de competência, não nos cabe mais do que uma opinião pessoal. Não podemos nos posicionar sobre assuntos que devem ser reservados a profissionais de verdade, e não a ´cientistas de opereta´, a ilustres anônimos encerrados em um comitê científico ou a profissionais de redes de televisão.

Contudo, o constante assédio da mídia, o zelo frenético das autoridades para intervir, nos conduzem a refletir e tentar entender o que está em jogo nesta agitação planetária4.

 

1. Algumas observações e perguntas

 

1.1. O Grande espetáculo

Com grande espalhafato de imagens e repercussão televisiva, pudemos assistir os fechamentos de aeroportos, as crônicas do obituário diário, os transportes TGV-COVID, a repetição incessante da mídia sobre a utilidade dos hospitais de campanha ou do plano Branco e Azul, a implementação abortada de drones de vigilância...

 

1.2. Origem do vírus

Natural ou projetado em laboratório? Este debate sobre a origem do vírus não é sem importância porque é uma fonte de interrogações para a pessoa comum: Se houve manipulação, por qual motivo? mera pesquisa ? objetivo curativo, político? O que é evidente é que o COVID-19 é atualmente objeto de consideração, tanto de autoridades locais como de organismos internacionais, a exemplo do que diz Klaus Schwarb, fundador e presidente executivo da World Fórum Econômico (WEF), mais conhecido como Fórum de Davos5"A pandemia apresenta uma oportunidade rara e limitada de repensar, reinventar e reerguer nosso mundo do zero."

O Prof. Luc Montagnier, Prêmio Nobel de Medicina de 2008, foi alvo de duras críticas por haver afirmado:

Este vírus (natural) recebeu inserções, mas os autores receberam ordem de não dizer nada... Há um encobrimento geral. Até mesmo cientistas são comprados ... Todos repetem em uníssono: o vírus foi produzido pela natureza. Isso é falso. Aí está uma grande mentira6

O Prof. Joseph Tritto7, praticante de microcirurgia, especialista em biotecnologia e nanotecnologia, presidente da Academia Mundial de Ciências e Tecnologias Biomédicas (WABT, sob a égide da UNESCO) confirma em seu livro "A quimera que mudou o mundo" a posição do Professor Montagnier.

A posição dos Professores Montagnier e Tritto recebeu recentemente o apoio da doutora Li-Meng Yang, virologista chinesa que pesquisou o COVID-19 a pedido de seus superiores no laboratório da Universidade de Hong Kong, referência da OMS. Ela fugiu da China em 28 de abril de 2020, para afirmar que estamos enfrentando um vírus modificado, criado no laboratório de Wuhan... e para não ser assassinada8. Por que ficar em silêncio sobre isso?

 

1.3. Periculosidade e mortalidade

Sem entrar em disputas de números e métodos de cálculo... as estatísticas mostram que o número de mortos em comparação ao de infectados é um pouco maior do que influenza sazonal (0,1-0,2%), mas bem abaixo de 1%.

De acordo com os últimos números divulgados pela OMS9, em 13 de agosto de 2020, dos 192 membros atuais da OMS, os quatro países europeus que mais aderiram ao lockdown (Itália, Espanha, Bélgica e França) estão entre os dez países que apresentaram a taxa de mortalidade por COVID-19 mais elevada do mundo.

Vemos atualmente a queda do número diário de mortes por COVID que fora liturgicamente anunciada todas as noites; estranhamente, durante este período, câncer, AVC, doenças crônicas... desapareceram!

O CDC americano (Centro para Controle e Prevenção de Doenças) declarou que a COVID-19 não é mais contagiosa e mortal do que outras epidemias do passado.

 

1.4. Inconsistências e reviravoltas das decisões de governamentais

Sobre o início da "guerra contra COVID-19", podemos nos lembrar...

... das declarações dos governantes sobre a inutilidade da máscara, o que é confirmado por muitas vozes médicas; hoje parece que caminhamos para o uso obrigatório!

... do confinamento, das multas por haver feito uma caminhada... sozinho na floresta sem máscara, mas tolerância em relação a encontros festivos... ou manifestações;

... do distanciamento no metrô, inexistente na SNCF10 que, no entanto, transforma seus funcionários em fiscais...

O Le Monde11 fala em “decisões políticas evolutivas” (!!!). Com o que isso rima?

 

1.5. Liberdade de expressão e de ação dos profissionais regulamentados

"Cancelamentos" orquestrados por indivíduos prepotentes -- jornalistas, "especialistas", políticos -- que expressam suas opiniões enquanto desqualificam outros que, por sua vez, apóiam-se em fatos, experiência e conhecimento. 

Perigo de crime de opinião: o professor Toubiana disse na BFMTV12 estar sendo pressionado pelo fato de afirmar posições contrárias a ideologia em vigor. Por quê?

Os cientistas seriam comprados, de acordo com o professor Montagnier, e parece que muitos meios de comunicação também o sejam (ver nota 6). Por quê ? Por quem ?

 

1.6. Medidas de saúde contestadas

Uso generalizado da máscara: A OMS especifica em seu relatório Conselhos sobre o uso de máscaras no contexto de Pandemia de COVID-1913:

Hoje, o uso generalizado de máscaras por pessoas saudáveis ​​na comunidade, não é ainda apoiado por evidências científicas diretas ou de alta qualidade e há benefícios e danos potenciais a serem tomados em consideração.

No canal LCI14, o Prof. Toubiana, epidemiologista, doutor em física, pesquisador do INSERM, disse em 20 de agosto que a máscara era inútil ao ar livre, e psicologicamente muito prejudicial. O que o atual Ministro da Saúde15, para quem o vírus está cada vez mais ativo, contesta violentamente.

Idosos: Medidas draconianas (máscaras, isolamento de idosos em asilos, confinamento generalizado, barreiras - com controles policiais meticulosos e às vezes difíceis, multas etc.) tomadas para proteger "pessoas frágeis" - dependentes e residente em asilos - resultou nesta população: 12.769 mortes de 25.531 registradas em 6 de maio de 2020.

• Confinamento: não há consenso sobre a eficácia do confinamento generalizado16. O Dr. Michel de Lorgeril especifica que o confinamento nunca foi praticado na história da medicina e Não existem estudos sobre o confinamento e sua utilidade para fazer face a uma pandemia. Além disso, a taxa de contaminação é maior em países onde o confinamento foi objeto de uma decisão cabal.

Distanciamento: De acordo com a revista médica BMJ17, o Massachusetts Intitute of Technology e a Oxford University argumentam que regra de distanciamento (entre duas pessoas) seria obsoleta porque devemos levar em consideração a ventilação das instalações, a potência da voz… para estimar o dano de gotículas respiratórias. O que parece ser a confirmação do bom senso!

Hospitais: Devido aos planos Branco e Azul, a capacidade hospitalar, quase totalmente reservada para os "covidados" teve por conseqüência a suspensão do tratamento de doenças crônicas, câncer, AVC... levando, portanto, a óbitos. Além disso, os depoimentos públicos da equipe de enfermagem, o uso de emprego parcial em clínicas particulares comprova a desproporção da decisão.

 

1.7. Tratamentos da doença

De acordo com dados da OMS de 13 de agosto, os países com menos mortes atribuídas ao COVID-19 são principalmente aqueles que mais realizaram testagens, realizaram quarentenas específicas e/ou usaram amplamente a hidroxicloroquina: Islândia (30 / milhão de hab), Marrocos (15), Senegal (14), Grécia (12), Japão (8,4), Cuba (7,7), Coréia (6), Nigéria (4,6), Singapura (4,6), Malásia (3,8), Qatar (1).

Na França, a liberdade de prescrição de remédios foi posta sob controle. Em 27 de março de 2020, o CNGE (Conselho Científico do Colégio Nacional de Docentes Generalistas) recomendou que clínicos gerais não prescrevessem derivados de quinina para os cuidados da COVID-19. “Essa exigência seria contrária à ética médica18"... e pode acarretar em sanções da ordem dos médicos. A proibição tem sido ameaçadora desde então.

Mas, de acordo com o Prof. Montagnier:

A ciência mostra as verdades, mas não se acredita mais nelas. Essas verdades estão sendo transformadas de acordo com as necessidades da economia. Ver um Ministro da Saúde da França para proibir um medicamento que parece agir sobre este infame vírus, é absolutamente espantoso, absurdo. Embora as revistas científicas tenham se retratado [caso da Lancet19] ele não se retratou. Ele continua. Então, quem é que nos governa? É um mundo louco... Os médicos não têm o direito de prescrever20.

Desde março, muitos especialistas, diferentes hospitais e institutos de pesquisa, propuseram tratamentos médicos que provaram ser eficazes, pelo menos em muitos casos, mas que nunca foram levados em consideração por governantes e outros comitês ad hoc que, por sua vez, interditaram o uso de drogas utilizadas há mais de 30 anos.

 

1.8. A salvação da humanidade através da vacina por vir

Os "Especialistas" defendem a vacina aos sete ventos, apesar do parecer de muitos virologistas e médicos licenciados em sentido contrário. Emmanuel Macron21, apoiador de uma política vacinal muito autoritária, afirma:

 "... afirmamos agora que uma vacina contra COVID-19, assim que ela for descoberta, beneficiará a todos, pois será um bem público global."22

Bill Gates converteu-se de empresário em pregador infatigável da vacina em nome da justiça social. Por quê ?

 

1.9. Um segundo ataque da besta?

Prof. Laurent Toubiana: “Não há epidemia de infecção de COVID-19, há uma epidemia de ansiedade. " (BFMTV).

Contra tudo o que é afirmado diariamente, "não haverá segunda onda", afirma o professor Toussaint, correndo o risco de se desacreditar. Por quê ?

O Professor Christian Perronne, infectologista, denuncia os subterfúgios, as mentiras, as manipulações ... das quais ele fornece provas em seu livro "Há algum erro que eles não tenham cometido?" 23. Tendo em vista milhões de testes, a generalização progressiva do uso de máscara… conseguinte ao discurso em 31 de agosto em RMC, C. Perronne falou de delírio total... Por que essa obstinação das autoridades?

< a seguir >

(AFS 271, Tradução: Permanência)

  1. 1. A partir de: Os animais doentes da peste por J. de La Fontaine.
  2. 2. https://covidinfos.net/wp-content/uploads/2020/08/FR-international-alert-message.pdf
  3. 3. http://www.francesoir.fr/opinions-tribunes/crise-du-coronavirus-en-franceepidemie-terminee-versus-panique-organisee-pourquoi
  4. 4. NB (Nota bene): O leitor encontrará nas linhas que se seguem, fatos, acontecimentos, citações devidamente referenciadas recolhidas a fim de preparar uma entrevista para a associação Prefeitos pelo Bem Comum. Guardamos este texto para uma apresentação oral, acreditando ser útil na confusão atual.
  5. 5. reunião anual seleta de personalidades políticas, econômicas e midiáticas que "fazem" o mundo.
  6. 6. https://www.medias-presse.info/le-professeur-luc-montagnier-denonce-lesmensonges-sur-le-covid-19-meme-les-scientistiques-sont-achetes/123737/
  7. 7. http://www.francesoir.fr/societe-sante/covid-19-lorigin-du-virus-lanalyse-du-prtritto-confirme-celle-du-pr-montagnier
  8. 8. Veja https://lesobservateurs.ch/tag/dr-yan-limeng/
  9. 9. Mortalidade por COVID-19 por milhão de habitantes: Bélgica 854, Grã-Bretanha 687, Espanha 611, Itália 582, Suécia 571, EUA 493 e França 464. -- (N. da P.), hoje o número de mortos por milhão nesses países aumentou consideravalmente
  10. 10. A Société nationale des chemins de fer français (SNCF) é uma empresa ferroviária francesa, controlada pelo Estado.
  11. 11. https://www.lemonde.fr/societe/article/2020/08/29/six-mois-de-consignes-sur-lemasque-en-france_6050316_3224.html
  12. 12. Canal francês de televisão - N. da. P.
  13. 13. Conselhos sobre doença coronavírus (COVID-19) para o público: quando e como usar máscaras (Organização Mundial da Saúde, abril de 2020).
  14. 14. LCI, ou La Chaine Info, é uma rede de televisão comercial aberta francesa - N. da. P.
  15. 15. Journal du Dimance (23.08.2020).
  16. 16. https://michel.delorgeril.info/ethique-et-transparence/science-du-confinementou-confinement-de-la-science/comment-page-1/
  17. 17. L’Obs et AFP (28.08.2020)
  18. 18. https://www.cnge.fr/conseil_scientifique/productions_du_conseil_scientifique/covid_19_y_t_il_une_place_pour_lhydroxychloroquine/
  19. 19. Ver Idriss Aberkane (Valores Atuais de 06.04.2020). Negligência escandalosa das autoridades que tomaram imediatamente decisões contra a hidroxicloroquina sem verificar - o que seria imperdoável a este nível - a fiabilidade do falso estudo publicado no periódico "científico" The Lancet, ou desejo manifesto de manipulação?
  20. 20. https://www.medias-presse.info/le-professeur-luc-montagnier-denonce-lesmensonges-sur-le-covid-19-meme-les-scientifiques-sont-achetes/123737/
  21. 21. Presidente da França - N. da. P.
  22. 22. Mensagem de E Macron para a Aliança Global para Vacinas e Imunização (GAVI), pelo 20º aniversário da sua criação (Londres 04.06.2020).
  23. 23. Albin Michel (2020, 16,90 €)
AdaptiveThemes