Skip to content

CAMPANHA DE ROSÁRIOS PELAS ELEIÇÕES

 

Clique na imagem para ler a oração que acompanha o Rosário

Clique aqui para ler o texto explicativo

 

Hamilton Nogueira (1)

Apresentação dos artigos

O SOLDADO DE JESUS CRISTO

Hamilton Nogueira

Faltava a Jackson de Figueiredo uma oportunidade para que a sua veemente doutrinação pela realeza de Jesus Cristo, na ordem social, tivesse uma apoteose magnífica, e repercutisse por todo o Brasil, despertando o entusiasmo cristão da nossa grande Pátria.

Concedeu-lhe essa oportunidade a inominável infâmia do bolchevismo mexicano, perseguindo barbaramente a Igreja Católica, na pessoa de seus ministros e de seus fiéis.

Não podiam os católicos brasileiros assistir indiferentemente ao martírio dos seus irmãos mexicanos. A nossa voz de povo livre – voz que nunca se calou, perante a História, na defesa da Civilização – não podia trair seu passado glorioso, aprovando com o seu silêncio uma das mais nefandas revivescências do espírito bárbaro na moderna idade.

Por toda a Terra de Santa Cruz clamores se ergueram, protestando energicamente contra a ignomínia do Presidente Elias Calles – o judeu mexicano inspirador e orientador de tão iníqua perseguição.

A esse tempo achava-se Jackson Figueiredo como Chefe da Censura da Imprensa do Rio de Janeiro. Poderia, por comodidade, ter-se esquivado a qualquer interferência na questão religiosa do México. Mas à sua alma de combatente, à sua grande alma cristã, repugnava trair a causa do Divino Mestre: não é digno de Jesus Cristo quem não segue os seus passos e não o acompanha até o sacrifício.

Mais uma vez, pois, surgiu Jackson de Figueiredo no campo de luta, e a sua palavra candente, a sua coragem, o seu senso cristão, repercutiram nos países mais distantes, levando o altivo e vibrante protesto dos católicos brasileiros.

Tão profunda foi a impressão causada pelos seus artigos magistrais, publicados na Gazeta de Notícias, que o Embaixador do México exigiu do nosso Governo a sua demissão do cargo de Chefe de Censura.

O Presidente da República de então, Sr. Arthur Bernardes, respondeu com a tradicional altivez dos estadistas brasileiros, e manteve Jackson de Figueiredo no elevado cargo, sem fazer a menor insinuação no sentido de interromper a brilhante série de artigos com que o nosso intemerato doutrinador católico defendeu a causa da Civilização Cristã.

(Hamilton Nogueira, Jackson de Figueiredo, Livraria Hachette do Brasil, 2a. edição, Rio, 1976)

AdaptiveThemes