Skip to content

Category: IslamismoConteúdo sindicalizado

O que o ocidente medieval deve aos árabes, e o que não lhes deve

Jean Sévillia

Professor substituto de história e doutor em letras, Sylvain Gouguenheim ensina história medieval na prestigiosa École normale supérieure de Lyon. Até pouco tempo, era ele um professor sem história. Estimado pelos estudantes, reconheciam-no os seus pares como um especialista em Idade Média alemã. As suas doutas publicações e livros — sobre Hidelgarda de Bingen, mística da região da Renânia no século XII, sobre o terror do ano mil ou sobre os cavaleiros teutônicos[1] — granjeavam respeito para este medievalista que também é germanista.

Em 2008 a curiosidade o levou a pesquisar a transmissão da cultura helênica na Idade Média. Desempenharam os árabes um papel no processo, ninguém o ignora, mas em que medida? Um lugar comum reza que o conhecimento antigo, depois de desaparecer da Europa em razão da queda do Império Romano, refugiou-se no mundo muçulmano que, ao traduzir para o árabe os textos gregos, transmitiram-nos ao Ocidente – transmissão que possibilitou o florescimento da cultura ocidental.

Islã, religião do amor?

Agosto 2, 2016 escrito por site_permanencia

 

 

É preciso distinguir islã e fundamentalismo islâmico? O islã é mesmo uma religião de amor? Existe mesmo um islã moderado? Os responsáveis pelos atentados recentes encontraram no corão sua justificação?

O estudo a seguir vai responder, com clareza e precisão, essas questões fundamentais. As autoridades religiosas e políticas terão interesse em se debruçar sobre estas interrogações. Leia mais

Muçulmanos querem calar nossos sinos

Julho 25, 2016 escrito por site_permanencia

O Reino Unido assiste ao desenvolvimento de uma nova forma de anticristianismo por radicais islâmicos. Em várias cidades, famílias muçulmanas têm feito denúncias contra igrejas próximas de suas residências, com o intuito de impedi-las de tocar os sinos. Os muçulmanos chegam a afirmar que o tocar dos sinos é um desrespeito com outras religiões.

Grupos de muçulmanos, vizinhos de diversas igrejas britânicas, exigem que durante as missas nenhum barulho seja ouvido fora das igrejas.  Leia mais

Perseguição no Iraque e castigo da humanidade

Julho 22, 2014 escrito por Dom Lourenço

A perseguição aos católicos nos países muçulmanos continua dramática e cruel. Vejam o que foi difundido nas agências de notícias:

A situação dos cristãos no Iraque está ficando cada vez mais dramática. Neste final de semana a Mitra Diocesana de Mosul foi incendiada e o Mosteiro de Mar Behnam, que fica a dez minutos da cidade de Qaraqosh, foi tomado pelos fundamentalistas do Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIL), que na semana passada obrigaram os fiéis a fugirem de Mosul depois de marcar as suas casas com a frase “imóvel de propriedade do ISIL”.

Em toda a história da humanidade, Deus castigou os povos que se afastaram da sua santa Lei. Como o mundo todo, hoje, incluindo o próprio Vaticano, já não quer o domínio de Deus sobre os homens, é de se esperar castigos salutares, para a nossa salvação.

Nas regiões islâmicas, a cruz vem pela morte e por crueldades variadas; entre nós, somos duramente perseguidos por leis iníquas que nos constrangem e impedem a prática do bem e a difusão da verdade.

Que Nossa Senhora de Fátima nos proteja da calamidade. Venha a nós o Vosso Reino!

 

As Lições do Iraque

Novembro 12, 2010 escrito por Dom Lourenço

 AS LIÇÕES DO IRAQUE

Dom Lourenço Fleichman

Certamente não deve haver maior honra para um sacerdote do que dar sua vida durante a Santa Missa, por amor de Nosso Senhor Jesus Cristo. Não me parece haver dúvida, pelo relato dos jornais católicos (http://fratresinunum.com), de que o massacre, ou melhor, os massacres que são contínuos em diversos países muçulmanos, mas nunca divulgados decentemente pela mídia internacional, foram impetrados em ódio da fé católica.
 
Não me comove o fato de um padre ser morto pela fé de Cristo. Não me comove o fato ter de explicar aos fiéis das nossas Capelas e Priorados que, eles também, devem estar preparados para todo tipo de ataque dos inimigos da Cruz de Cristo, inclusive a própria morte violenta. Esse é o ensinamento que devemos tirar das Sagradas Escrituras e da Sabedoria dos Santos: não estamos nesse mundo para alcançar a felicidade aqui, mas para purificar nossas almas das nossas faltas e pecados, abraçando a Cruz, qualquer que seja ela, sabendo que a graça sobrenatural e divina nos sustenta sempre, em qualquer dor ou angústia dessa vida. Leia mais.
 

Para onde vai o Islã?

Para onde vai o Islã? Não parece errado afirmar que o Islã mesmo o ignora quase por completo. Esse grande corpo informe está despertando de uma longa letargia, as pálpebras fechadas, a mente entorpecida, os membros estirados e sacudidos aqui e acolá por sobressaltos involuntários. A história do Islã manifesta duma ponta à outra a estranha alternância entre torpor e exaltação.
 
AdaptiveThemes