Skip to content

CAMPANHA DE ROSÁRIOS PELAS ELEIÇÕES

 

Clique na imagem para ler a oração que acompanha o Rosário

Clique aqui para ler o texto explicativo

 

Quem vai arrumar a mesa?

Irmãs da FSSPX

Em uma família, as crianças não são como hóspedes de um hotel onde tudo lhes é servido. É essencial que participem das tarefas da família, e a primeira que vem à mente, por ser uma atividade diária simples, é pôr a mesa. Essa é até uma das primeiras tarefas que as crianças podem cumprir e terão orgulho de que as julguemos capazes de pôr a mesa.

Talvez os pais temam que os mais pequenos acabem por quebrar a louça. O risco não é tão grande. Veja como estão ansiosos para provar-lhes que são dignos da confiança que lhes foi dada. As crianças sabem como prestar atenção e ter cuidado quando necessário. Não é melhor correr esse risco mínimo de um vidro quebrado do que arriscar transformar os filhos em criaturas egoístas, pouco dispostas a prestar serviços? Se necessário, é possível utilizar pratos de plástico no início de seu aprendizado.

Quantas vezes devemos pedir-lhes isso? Pôr a mesa é uma tarefa diária, portanto, devemos solicitar sua ajuda diariamente, a fim de acostumar as crianças ao esforço, e não nos contentarmos com uma ajuda ocasional. Podemos nos organizar de acordo com a composição da família: é possível pedir um voluntário a cada vez, mas o risco é que seja sempre a mesma criança com temperamento mais generoso; e o que fazer se não houver voluntário? Pôr a mesa também pode ser um privilégio do filho mais novo, ao passo que os mais velhos teriam tarefas mais difíceis. Ou cada criança pode revezar: uma põe a mesa no almoço, outra no jantar. Essa é uma tarefa que pode ser requisitada tanto a meninos quanto a meninas quando mais jovens. Mas, à medida que envelhecem, seria melhor pedir aos meninos outros serviços mais masculinos, como tirar o lixo ou cortar a grama.

Não devemos hesitar em lembrar às crianças que é hora de pôr a mesa, principalmente as crianças. As outras crianças perceberão que estamos chegando perto da hora da refeição, e esse será o sinal para que deixem de lado seus jogos ou dever de casa e lavem as mãos antes de irem para a sala de jantar.

No começo, solicita-se aos pequenos que definam apenas as coisas essenciais: pratos, copos e talheres, mas aos poucos podemos ensiná-los a fazer todo o trabalho, sem esquecer os detalhes: utensílios de cozinha, jarra de água, cesto de pão, faca e prato de manteiga, guardanapos, sal e pimenta ... Para ter uma refeição bem organizada, certifique-se de que, no final da mesa, você tenha os últimos pratos, sejam queijo ou sobremesa, com os pequenos pratos que os acompanham. Isso evitará viagens desnecessárias à cozinha.

Quando houver convidados, é o momento de treinar as meninas mais velhas para o papel de futura dona de casa. Preparar uma mesa agradável não é uma tarefa onerosa: não falamos das artes da mesa? Toalhas de mesa e guardanapos combinados, pratos festivos, uma peça central será apresentada. Elas também terão que prever os diferentes pratos e a troca de pratos em função do menu, sem esquecer os detalhes: por exemplo, lavar pratos raramente usados, colocar os copos de vinho à direita e os copos de água à esquerda etc.

Por mais simples que pareça a mesa, é uma maneira de desenvolver muitas qualidades nas crianças: saber servir, atenção, perseverança, o senso de trabalho bem-feito, ou seja, nos mínimos detalhes, um senso de harmonia, conhecendo as regras de etiqueta e boas maneiras ... Seria uma pena não pedir isso a seus filhos, seja por não saber como fazê-lo ou por não querer ser ajudado!

AdaptiveThemes