Skip to content

Índice de autores

Questão 3: Da simplicidade de Deus

Conhecida a existência de uma coisa, resta inquirir como existe, para que se saiba o que é. Porém, como não podemos saber o que é Deus, mas o que não é, não podemos considerar como é, mas, como não é.
 

O espantalho

Todas as grandes almas semeadas por Deus nestes vinte séculos de cristianismo e que a Igreja nos oferece como exemplos do Exemplo perfeito deixaram-nos, por atos e palavras, a mesma doutrina de santificação pregada por Jesus. A doutrina do Sangue. A doutrina da Cruz.

O descobrimento da Santa Cruz

“Depois, o Celebrante sobe os degraus do altar pelo lado da Epístola, e descobre o braço direito... e em tom mais alto canta pela segunda vez o Ecce lignum Crucis...” E pode-se dizer que esta cerimônia do descobrimento da Santa Cruz resume bem a notícia central da liturgia da Semana Santa.

 

E o mundo?

E o mundo? Que rumo tomará esse monstro de complexidade e de diversidade, que rosna em todos os tons a vanglória de suas conquistas, para logo, em todos os timbres gemer as misérias das mesmíssimas glórias; e o mundo? o mundo?

No limiar da Semana Santa

Ainda uma vez estamos nós, caro leitor, enquanto por aqui andamos, no limiar da Semana das semanas, a Semana Santa, onde a alma antes de se rejubilar com os hinos da Ressurreição, contempla e sofre a Paixão do seu Senhor.

 

A primeira missa

Todos que possuem rudimentos de iniciação da Sagrada doutrina sabem que foi na Quinta-feira Santa, véspera de sua morte na cruz, que o Cristo Nosso Senhor instituiu o sacramento da Eucaristia (Mt. XXVI, 20-25); (Mc. XIV, 17-21); (Luc. XXII, 14-20); (Jo. XIII, 18-30) e (1 Cor. XI, 23-26).

Quinta-feira Santa

A vida cristã vista com os critérios do mundo parece um disparate; e quanto mais perto seguirmos as pegadas de nosso Salvador mais bem fundada parece a exclamação do Apóstolo: — “Escândalo para os judeus, loucura para os gentios.”

 

AdaptiveThemes